sexta-feira, 28 de março de 2008

18 ANOS EM CENA


Cia. Garatuja de Artes Cênicas 18 Anos Em Cena.


A Cia. Garatuja é uma entidade cultural sem fins lucrativos, com sede em Rio Branco, Acre, Brasil. Fundada em 1990, a Cia. logo se tornou um dos grupos mais importantes do movimento teatral da década de 90 encenando espetáculo em varias vertentes de pesquisa de linguagem cênica.
A primeira vertente volta-se para o universo infantil com a montagem de Saltimbancos de Chico Buarque e História de Lenços e Ventos de Ilo Krugli trabalhando o universo lúdico da criança.
Sem fugir da primeira vertente, mas de forma mais ousada fomos para universo infanto Juvenil com a montagem de Escovinha Mágica de Regina Cláudia um texto totalmente didático e educativo e o Auto dos 99% de Oduvaldo Viana Filho esse volta-se para uma visão crítica do processo político que passava a educação. Ainda seguindo esta vertente vem 500 Anos de Enganos de Regina Cláudia na mesma linha didática com visão critica do processo histórico que passava o Brasil ao completar 500 anos também na mesma linha encenamos de Algusto Boal “Não existe Imperialismo no Brasil” ainda na mesma vertente só que trazendo para a comicidade montamos “Ervilina e o Princês” uma comédia divertidíssima, mas que tinha lá suas criticas e encerramos ai esta vertente mais politizada.
A segunda vertente trata-se de uma linguagem cênica pouco usada pela maioria dos grupos que é a dança contemporânea encenamos “RASTROS” e a formação de um novo elenco, o Garatuja também se transformou a partir daí num grupo de pesquisa sobre paleontologia e antropologia teatral, em seguida montamos também de nossa autoria “Nawaki” tramitando nos caminhos da música regional com uma pitada de humor.
A terceira vertente trás ao palco o universo do teatro com o drama “Por trás das Luzes” de Elmar Castelo Branco e a peça “A espera de Nana” de Florentina Esteves.
De volta a primeira vertente vendo a necessidade de montagens infantis montamos “Maroquinha Fru-Fru” Maria Clara Machado, Eu Chovo, Tu Choves, Ele Chove de Silvia Orthof e por ultimo Pó de Nuvem no Sapato de Vera Frois.
A quarta Vertente com “Chapurys” teatro épico na floresta com uma linguagem totalmente voltada para o novo conceito de florestania que já trabalhamos desde 2001 com Rastros sendo que até então nos não havíamos denominado essa nova identidade dos povos da floresta e seu modo de vida esse trabalho resultou em dois prêmios “Chico Mendes de Florestania” o maio prêmio que uma companhia de teatro e dança já recebeu no Estado do Acre e Prêmio Funarte/Petrobras 2005.
Buscando sempre uma dramaturgia própria com pesquisas históricas voltadas para a nossa cultura a Cia. Garatuja monta “Rosa Vermelha” baseada na tragédia da família Silveira, acontecida na década de 40 na cidade de Rio Branco. Estreamos no Teatro Raimundo Gomes em outubro de 2006, esse espetáculo ganhou o prêmio “Miriam Muniz de Fomento ao Teatro” 2006. Esse era o nosso terceiro prêmio, mas todo esse trabalho só foi possível graças a um projeto ousado em 2004 iniciamos uma batalha em busca de uma sede, um local que pudessimos trabalhar sem depender de órgão governamentais no sentido de espaço cênico, onde podíamos e criar, pensar, falar, exercitar e realizar algo com muito mais qualidade estética que é o principal objetivo de um verdadeiro artista.
Criamos a CASA GARATUJA 01 de junho de 2005 a partir daí mais nada segurou o Garatuja as dificuldades persistiram mais as realizações foram maiores superando sempre todos os obstáculos.
A partir de 2006 resolvemos investir a fundo no conceito de florestania dando continuidade as pesquisas tanto no teatro quanto na Dança resultado de vários trabalhos como “Histórias de Nossa Terra” e “Águas”, todos tratando do meio ambiente, uma experiência usando as técnicas de manipulação de bonecos de esponja pequenos e grande e atores em cena, o primeiro apresentamos 65 vezes em dois meses fomos a Cruzeiro do Sul e Brasília participando do Programa Zezinho da SEMA.
Além desses trabalhos ganhamos mais um prêmio graças as Mostra Garatuja de Dança que realizamos junto a comunidade dançante grupos e companhias de dança desde 2004. Prêmio “Klauss Vianna de Fomento a Dança 2007” financiado pela Petrobras e promovido pelo Ministério da Cultura e Funarte, estamos na terceira fase do projeto que é a pesquisa de campo de nossa próxima produção dramatúrgica da qual resultará em um espetáculo de teatro e dança sobre a cultura da Yawaska com o surgimento da mesma na cultura indígena até primeira miração do Mestre Irineu Serra, produção para 2009.
Estamos propondo para esse ano temporada de Chapurys e Rosa Vermelha, além do novo espetáculo infantil “A Incrível Viajem” de Doc Comparato para maio no Arena do SESC. Também a realização do I Festival de Dança do Aquiry e a V Mostra Garatuja de Dança, além dos espetáculos menores, viagens, oficinas, cursos, laboratórios e seminários que são realizados dentro da casa.
É a maior idade batendo na porta, mas o garatuja é que nem menino de rua desde cedo teve que lutar sozinho pela arte que queria fazer, não foi fácil sobreviver a toda a década de 90 com toda sua falta de políticas públicas para as artes cênicas principalmente para grupos do estremo oeste do Brasil. Por tanto... desistir jamais!!!

Regina Cláudia.
Diretora Geral
Cia. Garatuja de Artes Cênicas.

quarta-feira, 19 de março de 2008

ÁGUAS


“ÁGUAS”

Peça que desenvolve o tema das águas, e toda a situação em que esse liquida precioso se encontra, as chuvas, as cheias dos rios, piracema, poluição e a seca dos rios todos esses aspectos são tratados durante a apresentação.

Água, palavra belaQue soa de toda boca

Boca negra, parda, amarela. Todos não vivem sem ela.
Água líquido sagrado, Que brota dos mananciais

Desce serras com cuidado

Como véus a balançar.
Água serpente de prata

Que se arrasta pelo chão

És tão pura, corre as matas,Rios, cascatas e sertão.

Apresentação dia 29 de Março de 2008
Teatro de Arena do SESC
As 17h
Ingressos: R$ 8,00 reais

Ficha Técnica.
Atores: Nelciane Cardoso, Lucia Silva, Núbia Alves, Dino Camilo “Lambada” e Wanessa Priscilla
Direção e Sonoplastia...............Regina Cláudia

segunda-feira, 17 de março de 2008

Baile de Aleluia

Não Perca o Baile de Aleluia que a companhia Garatuja irá promover deste dia 22 de março na Casa Garatuja.
Iniciaremos as 17h com baile infantil e as 21 e 30h o baile adulto.
Trata-se de uma festa beneficente para o espaço "Casa Garatuja" sabe como é manutenção de espaços culturais não é nada facil.
Ingressos: R$ 10,00 e 5,00 reais.
Comidas e bebidas vendidas na casa.
Teremos varias atrações!!!

sábado, 15 de março de 2008

Programação das Oficinas da Casa Garatuja.



- Violão com professor Narciso Augusto as terças e quintas das 15h às 16h das 16h às 17h e das 17h às 18h. Mensalidade R$ 60,00 reais.
Oficina de música Experimental 01 “Iniciação Musical”.
Prática Instrumental 01 “Grupo de violão 01”.
Prática Instrumental 02 “Grupo de Violão 02”.

- Balé clássico com prof.ª Bruna ou Professor: AJ Todas as Segundas, quartas das 16h às 17 e 30 horas. Faixa etária de 04 a 10 anos. Mensalidade R$ 50,00 reais.

- “Turma Alternativa de Balé” com prof.ª ......Todas as Segundas, quartas ou sextas das 17h e 30m às 19 horas. Serão dois dias na semana. Faixa etária de 04 a 10 anos. Mensalidade R$ 50,00 reais.

- Jazz com professor: AJ as segundas, quartas e sextas das 14 e 30h as 16horas. Faixa etária de 10 a 20 anos. Mensalidade R$ 50,00 reais.

- Jazz com prof. AJ as Terças e quintas das 18h às 19h e 30horas. Faixa etária de 10 a 20 anos. Mensalidade R$ 50,00 reais.

- Teatro p/ Infância e Juventude com a Professora Regina Cláudia e os monitores Hurias Carléo e Nelciane Cardoso todos os Sábados das 9h às 12 horas. Mensalidade R$ 50,00 reais.

- Relaxamento e massagem com as professoras: Núbia e Wanderlena todas as terças e quintas das 19h e 30m às 21h.

- Dança do Ventre “Sem profª. Por enquanto” Todos os sábados das 17h as 18h e 30m. Mensalidade R$ 50,00 reais.

- Kong Fu Wushu e defesa pessoal, faixa etária de 07 até aos 80 anos das 15 às 16h e 30h as segundas e quartas. Mensalidade R$ 50,00 reais.


OBS: Os Cursos que ainda iniciaram o aluno interessados deveram entrar em contato no telefone 68-3224-6546 e deixar o seu contato.


Ainda temos serviços como:
- Auxilio a pesquisa teatral em dramaturgia para grupos de teatro, quadrilhas juninas e escolas.
- Laboratório de dança contemporânea “Corpo sem limite” técnica Klauss Vianna.
- Oficinas direcionadas e temáticas de acordo com a proposta do proponente.
- Apresentações de teatro e dança de acordo com o nosso repertório.
- Sedemos o espaço para ensaios de grupos de teatro, de acordo com as normas da casa.

Aguardamos VOCÊ na Rua Cunha Matos nº 621 Bairro 06 de Agosto 2ª Distrito “Calçadão da Gameleira”.
Telefone. 3224-6546 ou 9989-8177 / 9226-0317 falar com Regina ou Núbia.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Casa Garatuja

A Cia. Garatuja este ano completa 18 anos de encenações no estado do Acre, com 22 montagens cênicas entre teatro infantil, adulto e dança contemporânea conseguimos acumular nestes anos uma quantidade muito grande de adereços, cenários, instrumentos musicais, CDs, figurinos épicos e contemporâneos, mascaras gigantes de animais, mascaras clássicas, fotografias, cartazes, folderes de trabalhos do grupo e de outros grupos do Acre e do Brasil, revistas de teatro e dança, teses de teatro e dança, livros e textos de teatro, todo esse material está na Casa garatuja que é sede desta companhia desde 2005.
CASA GARATUJA” é uma proposta de espaço alternativo para a preservação da memória do teatro e também para realizações de oficinas de teatro , dança, música, pesquisa e seminários para que elas mantenham e sustente o espaço, pretendemos continuar desenvolvendo leituras dramáticas, exposição do material do grupo como fotos, mascaras, banners, cenários e figurinos.
Para nós Cia. Garatuja é mais importante está trabalhando direto com a comunidade do 2ª Distrito a onde a Cia Garatuja nasceu em 1990 e trabalha ate hoje, mas para o nosso trabalho de pesquisa de teatro regional, popular, teatro de autores, adulto, infantil e dança esse espaço só tem contribuido para crescer os nossos conhecimentos e qualificar os nossos espetáculos.
Sempre que possivel democratizamos o espaço com outros grupos que queiram ensaiar, estudar etc.. E para a população de todos os lugares do mundo que freqüenta o corredor cultural de Rio Branco o espaço estará constantemente aberto para visitações na sala da frente onde será instalado uma exposição dos trabalhos dos grupos e outros que queiram expor, na frente será exposto um mural com cartazes e folder de teatro e dança divulgando os acontecimentos da semana.